quarta-feira, 8 de maio de 2013

Lareiras para aquecer o inverno

O frio chegou antecipadamente aqui no Sul e é hora de se aquecer. Além de aquecer a casa, uma lareira caprichada valoriza o ambiente, funciona como divisória e pode até fazer as vezes de uma bela escultura. A maioria das casas por aqui tem uma lareira com uma chaminé, mas com o avanço tecnológico já é possível encontrar outros tipos de lareiras no mercado. Elas podem ser a gás (GLP ou gás natural), elétricas ou à lenha, que são as mais tradicionais. As duas primeiras dispensam chaminés e podem ser confeccionadas em diversos materiais. Já as lareiras tradicionais necessitam de um tratamento diferenciado com tijolo refratário ou alvenaria especifica para que o calor não se propague pelas paredes dos ambientes. Podem também ser utilizados materiais isolantes térmicos como as lãs de vidro e rocha, ou chapas de metal entre os materiais da lareira. Trouxemos alguns modelos para inspirar na hora de pensar em lareiras para a casa ou apartamento.

LAREIRA A GÁS




Esta casa em São Paulo dispensava aquecimento potente, mas pedia luz natural. A solução encontrada foi instalar na sala um modelo a gás, da Casa das lareiras, diante de um grande rasgo envidraçado. Projeto dos arquitetos Ricardo Julião e Cristiana Castro.




Aqui a lareira a gás está suspensa e ganhou destaque graças à iluminação recebida ao fundo e funciona também como um aparador para objetos de decoração. Feita em alvenaria e revestida em mármore travertino. Projeto da Casa das Lareiras.



Nesta sala de estar as lareira ganhou uma base em alvenaria que recebeu um revestimento em madeira para dar mais aconchego e charme ao ambiente. Um nicho superior também foi criado e pode abrigar a TV, desde que a mesma fique resguardada das chamas diretas.




A sala de jantar está separada da área de estar pela lareira a gás, que possui um desenho diferenciado, compondo um aparador para a sala de jantar. Feita de concreto e desenhada pelo arquiteto Adilon Ferreira.


LAREIRA À LENHA



     

Em locais com poucos espaço como nos apartamentos e lofts, a lareira também pode ser instalada. Nessa cobertura, a caixa de alvenaria nasce de uma base de 38 cm de altura, também feita de alvenaria e pintada, que tem um duto que atravessa a laje até sair na coberta. Projeto do arquiteto André Vainer.




Uma outra opção para as chaminés tradicionais a lenha é o uso de uma chaminé de aço e base feita em alvenaria e revestida com pedra de limestone com metal e vidro. 


LAREIRA ELÉTRICA




A lareira elétrica diferentemente das demais necessita apenas de um ponto de energia para funcionar. Ela já vem pronta de fábrica e  são semelhantes a uma TV, que é embutida em um nicho feito em alvenaria, gesso ou num móvel pronto. Vem com controle remoto para a mudança de som e imagem da lareira e são indicadas apenas para interiores. 




Com efeito realista de chama, a lareira elétrica privilegia o meio ambiente e é ideal para locais fechados por não emanar gases tóxicos. Ajustável em quatro alturas diferentes, pode ser ligado sem o uso de aquecedores.


LAREIRA DE CENTRO




A última opção são as lareiras de centro. Geralmente é feita uma caixa, que também pode ser comprada pronta, com dimensões e materiais variáveis. Aqui a chaminé de aço inox da lareira, com base de granito preto absoluto e tijolos refratários, não obstrui a visão da paisagem. Foi fixada na laje de concreto aparente sustentada por vigas invisíveis, colocadas acima da laje.




A varanda, fechada por vidros retráteis, virou extensão da sala com a instalação da lareira a gás da Construflama. Sua base é uma caixa de mármore travertino navona. Projeto da arquiteta paulista Karina Afonso. 


Para evitar acidentes com as crianças pode-se optar nesse caso ao fechamento com vidros temperados em torno da lareira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário