quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Quarto de meninos

Meninos são difíceis de agradar, ainda mais quando deixam para trás a infância e chegam à adolescência. Nessa época, o quarto deles também passa por uma metamorfose: o ambiente deixa de ser o lugar de brincar e passa a receber os amigos para ouvir música, jogar jogos de computador, bater altos papos... O que fazer então para transformar o quarto do filhão? Trouxemos algumas idéias criativas e sugestões de disposição do mobiliário para aproveitar o espaço da melhor maneira e ajudar na nova decoração para agradar ao garoto. 


O ambiente, com 15 m², ganhou uma decoração cheia de cor. Acima da bicama, está o quadro de fotos de 1,70 m de comprimento. A estante de madeira laqueada, que faz o papel de cabeceira, tem iluminação embutida. Xodó do garoto, a guitarra conquistou um móvel com espaço extra para o amplificador. Projeto da arquiteta Marise Marini.

O piso de peroba e o teto com caibros de madeira, na inclinação do telhado, dão sensação de aconchego ao ambiente de 20 m². A TV está presa num suporte giratório. Ao lado da bancada de estudos, um móvel com gaveteiros organiza livros e cadernos. Projeto da arquiteta Andréa Chicharo.

Nesse quarto foi utilizada a madeira canela de demolição em parte da alvenaria, o sofá-cama revestido com tecido camuflado e a cama e o pufe revestido com uma lona original de caminhão. A espaçosa bancada de estudos ganhou prateleiras e nichos que acolhem TV, som, vídeo, fitas de jogos, CDs e DVDs. Projeto da designer de interiores Viviane Magri Dinamarco.

Esse dormitório de 12 m² de um menino de 11 anos conta com um tablado no fundo do ambiente, elevando o canto de dormir. No limite dessa estrutura, alocou a mesa de estudos, com computador e gaveteiro, dividindo o espaço em duas partes: a da cama e a de brincadeiras. Painéis de freijó foram projetados para sustentar a TV de LCD e prateleiras para brinquedos. Projeto da arquiteta Andréa Chicharo.

O jovem proprietário deste quarto de 16 m² queria uma elegância contemporânea, com cama de casal e espaço para estudo, mas com visual de escritório. “Revesti uma das paredes com madeira escura e na outra optei por uma tinta de tom charuto, dando continuidade à cor do encosto da cama”, diz a arquiteta Beatriz Dutra. Junto à escrivaninha, um painel de aço e prateleiras de vidro. Couro, material de toque agradável, cobre o tampo da mesa e está presente em detalhes do acabamento da colcha de linho. Sobre o piso de madeira cumaru, um tapete de fibra natural.

Uma grande bancada de laca branca integra a cabeceira neste quarto de 14,8 m². O dono, uma rapaz de 18 anos, queria um dormitório funcional. Um painel de aço inox foi fixado na parede junto à cabeceira, criando um espaço para fotos e recados. A área de estudo ganhou prateleiras e um móvel volante com gaveteiro. Na janela, uma persiana rolô filtra a luz natural. Projeto da arquiteta Fernanda Marques.

Um visual essencialmente masculino marca o dormitório do rapaz de 16 anos. Para tornar o quarto de 10 m² bem original, com  um painel com bolinhas de gude inseridas numa caixa de madeira coberta com vidro temperado, capaz de suportar o peso. O efeito visual ficou ainda mais destacado pelo nicho com iluminação embutida, inserido sobre a cabeceira da cama. A escrivaninha com tampo duplo – madeira e vidro – ganhou a companhia de um armário suspenso, fechado com portas corrediças de vidro verde, combinando com todo o ambiente. Projeto da arquiteta Lucia Gomes Órfão.

O proprietário deste dormitório tem 19 anos queria um ambiente discreto e espaçoso, com cores neutras. Com 18 m², a planta mais comprida do que larga, não foram colocados móveis na parede oposta à cama, facilitando a circulação. No canto, porém, dispôs uma estante alta de madeira pintada de preto apoiando a TV e guardando alguns objetos. Um painel escuro composto de placas de madeira enfileiradas protege a cabeceira e se prolonga até a janela. Essa área foi destinada a três prateleiras presas com cabo de aço e à confortável escrivaninha tingida de branco, aproveitando bem a iluminação natural. A decoração ganhou pôsteres de cinema e o resultado se revelou aconchegante e funcional. Projeto da arquiteta Beatriz Dutra.

Além de uma cama macia e um canto para estudar, o dono do quarto de 16 m² queria um espaço privilegiado para as coisas relacionadas ao esporte que pratica.  As bolas ganharam lugar sobre uma bancada baixa, a mesma que embute os aparelhos de som e vídeo e também possui gavetas para apetrechos esportivos. A marcenaria é enxuta: toda de laca branca e linhas retas, ela satisfaz as necessidades do jovem sem sobrecarregar o ambiente com muitos móveis. Projeto de Jóia Bergamo.

Não precisa nem dizer que o dono deste quarto é louco por música. Quem entra nos domínios de Renan, de 16 anos, é surpreendido por uma enorme pintura de Bob Marley, que ocupa toda a cabeceira da cama. Para ressaltar a figura, pintada pelo artista Prisola, móveis neutros em que predomina o branco. A cama esconde um baú, que ajuda a pôr fim em qualquer bagunça. Projeto de Claudia Pina e Simone Borgas.
A proposta para o quarto de Matheus, 12 anos, foi criar uma base neutra com os móveis principais, o que favoreceu uma decoração independente da idade, que resiste à mudança de interesse, comum nessa fase, e que não precise ser trocada a cada ano. Outra sacada do ambiente é a mobilidade: além do carinho de TV, com rodízios, a bancada se desloca – ela possui um eixo giratório preso junto ao lambri. Assim, há espaço suficiente para quando amigos quiserem pernoitar ali. Projeto da decoradora Dodora Gontijo.

Os amigos do garoto de 8 anos ficam surpresos quando entram em seu quarto, de 20 m². Apoiado na estrutura do closet aberto, o mezanino, a 2 m de altura, ganhou zabutons, que acolhem as visitas para pernoites. Para descer de lá, basta escorregar pelo tubo de bombeiro ou se pendurar na escada e se atirar nos pufes em forma de bola. Tons vibrantes de verde e azul em paredes e acessórios oferecem uma atmosfera cheia de energia. O branco da marcenaria foi utilizado para equilibrar o excesso de cor. Projeto da decoradora Simone Goltcher.

Fonte: Adaptação a partir do site de Casa Claúdia

Nenhum comentário:

Postar um comentário